Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?

MENU

Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?

25.10.2017

Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?

Se você acompanha nosso blog deve ter visto um outro post que fizemos falando sobre o projeto de naming e de como ele é o primeiro passo para a construção da sua marca.

E como nós adoramos as coisas “na prática” e analisar casos que a gente vê no dia-a-dia, vamos falar de 3 grandes namings ~ou nem tanto~ da música brasileira: Anitta, Wesley Safadão e Wanessa Camargo. Confere aí! 😉

Caso 1

Larissa de Macedo Machado

A versatilidade como conceito de marca

Sucesso entre baixinhos e grandinhos, a carioca de 24  anos que atualmente é rainha das TOP list brasileiras, surgiu apenas em 2010 e de lá pra cá foi hit atrás de hit.
Como já revelou em algumas entrevistas, a inspiração para o naming / nome artístico de “Anitta” surgiu da minissérie “Presença de Anita”, exibida pela Rede Globo ~plim plim~ em 2001.

Para quem não lembra, a Anita interpretada por Mel Lisboa apesar do ar singelo e ingênuo era uma personagem pra lá de provocante e sensual.
Só aí, já podemos lembrar de uma outra Anitta não é?

Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?

Ainda falando sobre a inspiração para seu nome artístico a funkeira conta que se sentia muito envolvida pela personagem, porque a Anita dizia que ela podia ser várias mulheres ao mesmo tempo. Além do mais, a Anitta (com dois t’s) sempre acreditou que as pessoas podem “ser tudo”, sem limitação. 

Então, podemos relacionar com uma das coisas que faz da cantora esse ícone pop BR, sua VERSATILIDADE.

Ou seja, Anitta se apropria não apenas do nome da personagem da minissérie “Presença de Anita”, mas também de tooodo o conceito por trás desse personagem. A Anita da TV era destemida, ousada, assim como a cantora, que além disso,  é versátil. Anitta canta funk, sertanejo, reggaeton, pop e agora até bossa em inglês a danada lançou.

Como falamos aqui, pensar em um nome que represente muito mais do que está escrito é fundamental para o sucesso de uma marca e nesse caso, Anitta dá um show conceitual com um nome que realmente comunica os valores da “marca” dela.

Caso 2

Wesley Oliveira da Silva

Um nome, uma promessa

Agora chegou a vez de falar dele, o safadão que roubou nossos corações.

Tudo começou oficialmente em 2007 quando Wesley assumiu o vocal da banda de forró da sua família, a “Garota Safada” cuja banda deu a ele o apelido de safadão. Com o sucesso, a partir de 2012 a Garota Safada iniciou a transição do nome da banda para finalmente ser “Wesley Safadão” e nada mais.

Até aí ok, mas essa história parece meio chata pra você não é?!

O caso Wesley realmente foi uma mistura de humildade + carisma + talento do rapaz. Mas o que garantiu com que ele se tornasse um dos ícones do arrocha no Brasil foi que a marca “Wesley Safadão” não perdeu sua essência e manteve aquilo o que a marca prometia: a safadeza.

Podemos dizer que um dos segredos de tanto sucesso foi uma marca COERENTE. Afinal de contas, uma marca é uma promessa! E no caso Safadão, missão dada é missão cumprida, sem deixar de lado as raízes que construíram o cantor. Ele leva seu conceito de safadeza não só na mistura forró sertaneja, mas também para o axé e o funk.

Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?

Ok, então quer dizer que para fazer sucesso basta um nome bem conceituado e coerente?

🚨 SPOLIER ALERT ↓

NÃO! E já vamos te falar porque.

Caso 3

Wanessa Godói Camargo Buaiz

Filha do Zezé

Filha de Zezé di Camargo (& Luciano) e Zilú Godói, a cantora tinha t-u-d-o pra dar certo!
✅ Nome já conhecido no contexto musical;
✅ Contato com diversas gravadoras e produtoras;
✅ Estabilidade financeira para poder investir na carreira.

Nos anos 2000, a cantora até obteve certo sucesso no com country pop, mas nada a ponto de consolidar sua carreira de vez. Depois disso, Wanessa migrou para o pop latino e dance-pop virando meio que uma ~Shakira Brasileira~  e por fim, quis voltar às raízes como cantora sertaneja.

Ou seja, não existe receita do sucesso, mas certamente conceito e coerência são ingredientes fundamentais para isso. Além disso, um bom planejamento estratégico deve ser definido desde o início.

Mas esse é assunto para outro post, por isso não deixa de nos acompanhar, viu?! 😉

Anitta, Wesley e Wanessa: o que eles podem te ensinar sobre naming?