Ecommerce: sinto muito, mas ele não vai se vender sozinho

01.02.2018

Ecommerce: sinto muito, mas ele não vai se vender sozinho

Ter um ecommerce não é garantia de venda e talvez, infelizmente, você já saiba disso.

Se você está lendo este texto, posso supor que sua empresa tenha criado um site ou então, um ecommerce/loja virtual. E infelizmente, por mais que sua empresa tenha investido tempo e dinheiro para criar seu ecommerce, isso não significa nada se os esforços não foram aplicados com estratégia.

Seja um site institucional ou loja virtual, é preciso paciência, organização, estratégia e boas parcerias. Criar um ecommerce pode ser um processo tão complicado quanto abrir uma loja física.

Por exemplo:

Você é um vendedor de roupas esportivas, na sua cidade existem poucas lojas do mesmo segmento e talvez por você ter mais tempo de praça, sua loja se destaque frente ao público da sua cidade. Mas quando essa situação é inserida no meio digital: você é uma loja nova, de Passo Fundo (onde fica isso?), concorrendo com a NETSHOES!

Seu ecommerce não vai vender. Giff Princess Leia Disappointed

Nesse momento, não importa se sua loja física tem 15 ou 30 anos de mercado, se todos na sua cidade são clientes fiéis.

Na internet, você estará de frente aos potenciais clientes mais exigentes do mercado! Para comprar online TUDO é importante:

  • Sua marca;
  • De onde você é (principalmente quando se fala em frete);
  • Preço;
  • Variedade de produtos;
  • Se sua loja online é bem avaliada pelos usuários;
  • Sua plataforma de ecommerce, o site em sí.

Isso sem considerar muitos outros fatores mais específicos, como por exemplo: o Google.

🚨 SPOILER: É sobre isso que irei falar hoje.

Isso mesmo, na internet não basta pensar nos atributos que a sua loja, enquanto empresa, tem de diferencial. Um dos fatores mais importantes a se considerar no momento de CRIAR seu ecommerce é o Google.

Seu ecommerce não vai vender. Giff Princess Leia What

Afinal de contas, é ele que irá “mostrar” sua loja virtual ao usuário. Pense bem, de acordo com o Netcraft janeiro 2017 Web Server Survey, existem mais de 1,8 bilhões de sites na internet (1.800.047.111). Sua loja será mais uma entre bilhões, claro, nem todos esses sites estão ativos, e nem todos serão seus concorrentes, mas certamente você não quer que seu ecommerce seja sufocado em meio a tanta informação não é mesmo?!

Para que o Google COMPREENDA que seu ecommerce é importante aos usuários ele precisa identificar certas informações no seu site. São diretrizes gerais, boas práticas a se cumprir para ajudar o Google a encontrar, indexar e classificar seu site, de preferência, entre as primeiras posições.

Mas como o Google encontra, indexa e classifica os sites/ecommerce?

Imagine que você é um bibliotecário, mas não um bibliotecário normal, você é um bibliotecário que guarda cada livro do mundo.

As pessoas dependem de você diariamente para encontrar as informações exatas que estão procurando, como você faria isso? Como você saberia que está entregando o livro com a informação correta?

Bem, a resposta para isso pode ser simples: você precisaria de um sistema para saber as informações de cada livro. Mas como esse sistema funcionaria? Mesmo com uma lista você ainda levaria horas para encontrar qual o livro que contém a melhor informação, não é mesmo?

Então, os motores de busca, como Google e Bing, são os bibliotecários da internet. Já o sistema usado para coletar as informações de cada página da web são o que chamamos de algoritmo.
É o algoritmo que irá avaliar qual a melhor resposta (site) será entregue ao usuário.

Em um ecommerce os resultados da busca do Google importam e muito! Isso porque, quando seu site aparece entre os primeiros resultados, mais pessoas irão encontrá-lo. Mas aparecer entre os primeiros resultados de busca não é uma tarefa fácil. Como já comentei anteriormente, seu site precisa conter certos “ingredientes especiais” que o algoritmo do Google irá dar uma pontuação: quanto maior a sua pontuação, melhor será sua posição no ranking de resultados. A receita secreta que seu site precisa seguir é a receita de SEO (Otimização para Resultados de Busca).

O que importa em SEO?

#1

Palavras-chave

Os motores de busca são responsáveis por analisar cada palavra na web, assim quando alguém procura por “tênis de corrida”, o algorítimo dos motores de busca só irão apresentar sites que contenham a palavra “tênis de corrida”.

#2

Tag Titles

A Tag Title é exibida nos resultados do Google e é um fator beeem importante para SEO. Na maioria das vezes a Tag Title aparece em azul nos resultados do Google.

Essa tag é o título oficial da página e fica localizada no código-fonte.

#3

Links

Ter outros sites “apontando” para o seu também é algo importante. O Google entende isso como se os outros sites estivessem recomendando ao leitor a ver as informações do seu site.

#4

Links em palavras

Isso acontece quando um link é incluído dentro de alguma frase em um texto.

#5

Reputação

Ainda, os motores de busca se preocupam com a reputação dos sites. Para ter uma boa reputação é importante que seu site esteja sempre atualizado, com conteúdo novo. Nesse caso, ter um blog, por exemplo, se torna uma ótima tática. Assim, com um site sempre atualizado sua empresa ganhará boas referências (outros sites indicando você).

Seu ecommerce não vai vender - Giff Princess Leia I dont know
” Eu não sei do que você está falando”.  –  Princesa Leia 

Ficou surpreso com essas informações e quer colocar em prática? Então, vem conversar com a gente.  😉

prepare-se a escalada vai começar.